Seguidores

quinta-feira, 30 de junho de 2011

William Shakespeare

Bem aqui vai um poema de um de meus autores preferidos, um dos mais fascinantes poemas já escrito por ele! Gosto muito desse texto, e penso que ele traz lições valiosas para cada um de nós!

Um Dia Você Aprende Que...
"Depois de um tempo, você aprende a diferença, a sutil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma. Você aprende que amar não significa apoiar-se; que companhia nem sempre significa segurança. E começa aprender que beijos não são contratos; que presentes não são promessas. Começa a olhar as derrotas com cabeça erguida e os olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança. Aprende a construir todas as suas estradas no hoje, porque o terreno do amanhã é incerto demais para os planos e o futuro costuma desvanecer. Depois de um tempo, você aprende que o sol queima se ficar exposto por muito tempo. Aprende que não importa o quanto você se preocupe, algumas pessoas simplesmente não se preocupam... Aceita que não importa quão boa seja uma pessoa, ela o ferirá de vez em quando e você precisa perdoá-la. Aprende que pode aliviar dores emocionais. Descobre que leva anos para se construir confiança e apenas segundos para destruí-la; que você pode fazer coisas num instante das quais se arrependerá pelo resto da vida. Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer mesmo a longas distâncias; que o importante não é o que você tem na vida, mas quem você tem; e que bons amigos são uma família que pudemos escolher. Aprende que não temos que mudar os amigos se compreendemos que eles mudam; percebe que seu melhor amigo e você podem fazer qualquer coisa, ou nada, e terem bons momentos juntos. Descobre que as pessoas mais importantes na sua vida são tiradas de você muito depressa (por isso, devemos sempre dizer palavras doces às pessoas a quem amamos). Aprende que, apesar de as circunstâncias e as pessoas nos influenciarem, nós somos responsáveis por nós mesmos. Começa aprender que não deve comparar-se aos outros, mas ao melhor que pode ser. Descobre que leva muito tempo para se tornar a pessoa que quer, e que o tempo é curto. Aprende que não importa onde já chegou, e sim aonde está indo. Aprende que, ou você controla seus atos, ou eles o controlarão; que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade (pois não importa quão delicada e frágil seja a situação, sempre há dois lados). Aprende que heróis são pessoas que fizeram o que era necessário, enfrentando as conseqüências. Aprende que paciência requer muita prática. Vê que algumas vezes, a pessoa que você espera que o chute quando você cai é uma das poucas que o ajuda a levantar. Aprende que maturidade tem mais a ver com as experiências que teve e o que aprendeu delas do que com quantos anos você viveu. Aprende que há mais dos seus pais em você do que você supunha. Aprende que nunca se deve dizer a uma criança que sonhos são bobagens (poucas coisas são tão humilhantes, e seria uma tragédia se ela acreditasse). Aprende que quando está com raiva, tem-se o direito de estar com raiva, mas não o direito de ser cruel. Descobre que só porque alguém não o ama do jeito que você quer não significa que não o ame com tudo o que pode (pois existem pessoas que amam, mas simplesmente não sabem como demonstrar ou viver isso). Aprende que nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém, às vezes tem de perdoar-se a si mesmo. Aprende que com a mesma severidade com que julga você será, em algum momento, condenado. Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára a fim de que você o conserte. Aprende que o tempo não é algo que possa voltar atrás (portanto, plante seu jardim e decore sua alma, em vez de esperar que alguém lhe traga flores). E você aprende que realmente pode suportar, que realmente é forte e que pode ir muito mais além do que pensava poder. Descobre que realmente a vida tem valor e que você tem, valor diante da vida. (Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o bem que conquistaríamos não fosse o medo de tentar)".

(William Shakespeare)

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Assim sou eu

                   ♥Na ciência eu                                   sou órgão vital, ♥                               
       ♥na criança sou  sinceridade    ♥     e pureza.  No irmão e amigo ♥
   ♥sou   fraternidade e harmonia. Na   mulher sou nobreza. O amor aqui♥
 ♥é sublime, inspiro poemas, poesias  e canções.  Aqui trago dor  quando♥ 
♥encontro decepção, trago carinho   quando não    estou sozinho.  Espaço♥
♥aqui tem de sobra . As vezes nos  espaços vazios  a ilusão ocupa o lugar.♥
 ♥intensa são sensações quando a paixão toma conta de mim por inteiro.♥ 
   ♥Trago aqui milhões de sentimentos, só aqui, todos eles intensamente♥ 
          ♥sentimentos bons e ruins, as  vezes organizados  outras vezes♥ 
               ♥desorganizados, mas sempre verdadeiros sentimentos,♥ 
                        ♥sou  bandidido, leve, livre, louco ladrão, sou♥ 
                               ♥alegre, as vezes triste, apaixonado,♥ 
                                        ♥teimoso e inconformado,♥ 
                                                  ♥assim sou eu♥ 
                                                       ♥coração♥
                                                               ♥

segunda-feira, 13 de junho de 2011

“A flor”

A flor
É singular
É peça única
Lirismo sedutor
Vontade de sonhar
É uma forma de se amar
Presente do amor materno
Declaração de amor eterno
Perfume que te deixa louca
De um colorido tão exótico
É doce que açoda a boca
Beijo umidecido, erótico
A flor é intenso desejo
É estrela que seduz
Vida, é sol, é luz
Intenso sobejo
Devaneio
Enleio
É cor
F
L
O
R
É calmaria
É céu limpo, azul
É noite, dia
É
P
O
E
S
I
A

domingo, 12 de junho de 2011

Amor

Venho como quem não quer nada;
Tomo conta de tudo quando menos se espera;
Domino feras que ninguém domina;
Queimo sem doer;
Esfrio mas não congelo;
Do escuro faço a luz;
Reacendo o que se apaga;
Com preto e branco crio todas as cores;
Sou imutável, indomável;
Sou verdadeiro e fiel;
Sou o Rei dos sentimentos;
Sou frio e calor ao mesmo tempo;
Comigo os momentos são intensos;
Sem mim nada se completa;
Às vezes platônico, trago dor;
Sou puro, simples sentimento amigo;
Sou e serei por toda vida;
Simplesmente 
AMOR!

sábado, 11 de junho de 2011

Sonho

O surdo responde minha pergunta 
Leio a carta do cego 
Ouço grito do mudo
O paraplégico corre atrás de mim
Agradeço o mendigo pelo dinheiro que me deu
Respondo o pedido de socorro da terra
Leio um livro vivo
Engulo letras que andam
Versos saltam por meus olhos
Respiro sentimentos
Expiro poesia
Bebo suco de rima
Durmo em cima de palavras vasias
O jornal lê noticias para mim
O livro declama a poesia 
O telefone toca fora do gancho
A porta abre sozinha
A janela se fecha quando eu saio
o ventilador se liga quando eu quero
O relógio me diz a hora e o que tenho que fazer agora
O calendário me diz todas as tarefas do dia
O carro se dirige pra mim
A casa anda pra onde eu vou
Meu Deus o que está acontecendo?
Não entendo, será que o tempo passou e não percebi?
De repente assustado acordo
E me flagro com um papel escrito com um poema
Era um sonho... 
...kkk...

Está escrito

Não sou profeta, mas o destino desse mundo já está escrito. Vivo entre a faca e a navalha,  sigo sem muito do que esperar desse mundo sem amor, hipócrita e desigual. Se algo mudou com certeza não foi pra melhor, acho difícil tal ato acontecer. O ar que antes era puro, hoje se mistura a fumaça da poluição, a mídia exibe fantasia e ao mesmo tempo jorra sangue, violência, violência e mais uma vez, violência... E nessa escrita cruel do destino procuramos um culpado. A culpa: sentimento tão dificil de reconhecer, querendo ou não está em cada um de nós! Uma coisa é certa: não sou o Criador do mundo, mas tenho culpa por ser a sua criação. Nós somos os únicos culpados pois fechamos os olhos para não ver a óbvia desgraça criada por nós mesmos. Deus criou o mundo e tudo que nele há, o ser humano criou o caos do mundo e a tendencia é piorar!

sábado, 4 de junho de 2011

Ser do mundo

Acho incrível como as pessoas tem o poder de não valerem o chão que pisam. Mas afinal ninguém presta não é mesmo? Nem você presta tanto assim, nem eu na verdade. Mas então, valendo alguma coisa ou não, temos que viver. Sermos felizes, amar quem ou o que for, e independente da forma de amor. Simplesmente amar. Aproveitar ao máximo o carinho que nos é dado, e sempre, mas sempre ofertar mais do que dar. Todos precisam de retorno, todos querem retorno. Aquela velha frase que diz: temos que dar sem querer nada em troca, só vale para o passado mesmo, o mundo é feito de interesses, bons ou ruins. E não me chame de egoísta por isso, sou realista e feliz até, quando preciso. Sou puro amor, puro viver. Aprende comigo que talvez você saia desse seu mundinho que você criou, o mundo é bruto, sujo, safado.  Mas lhe garanto, ser um pouco do mundo às vezes funciona e não é preciso ser sujo para estar nele.

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Uma pequena homenagem

"Ela escrevia sem esperança de que suas idéias alterasse alguma coisa. Pode até não alterar em nada. Mas seus sentimentos em palavras me instigam a criar e expressar minhas idéias assim como ela fez perfeitamente... Na verdade ela não estava querendo alterar as coisas, ela apenas colocava para fora seu desabafo, é como se na poesia ela encontrasse uma válvula de escape, uma saída de emergência do mundo real para um mundo “imaginário” mais confortável. Clarice Lispector à Você concedo essa pequena homenagem!”


(Jailson Batista)